Trabalho a fazer  

Os grandes pedagogos do ensino da músicaconceberam os seus métodos de ensino tendo por base o prazer na música, a audição interior e a compreensão musical. Utilizam a «audição interior»(ou seja, a capacidade de repetir mentalmente o que se ouviu no exterior, de antecipar mentalmente o que se vai tocar ou cantar, de ouvir mentalmente o que se quer inventar/criar) para aumentar a qualidade musical e interpretativa das crianças, bem como a afinação e a consciência musical. A ideia deste trabalho éreproduzir estes mecanismos na leitura.

Paralelamente a isto, a representação mental que cada indivíduo utiliza para adquirir conhecimentos, comunicar, memorizar e compreender, influencia de forma determinante a sua facilidade ou dificuldade na leitura. Desenvolver os sistemas de representação mental (visual, auditivo e cinestésico)em geral, e os menos utilizados pelo aluno em particular, é um objetivo importante em sala de aula. Sabemos que, à partida, os mais lentos são, muitas vezes, os cinestésicos, aqueles que aprendem de forma sensorial, precisando de movimento, toque, experiência, emoção e mais tempo para guardar a informação.

Aprendemos brincando, por isso a ferramenta «Histórias em 77 palavras» (da minha autoria) trará à produção de texto o desafio, curiosidade, vontade de contornar as exigências de cada proposta.

Juntando a isto a necessidade, cada vez mais urgente, de trabalhar a concentração e a atenção, e sabendo que este trabalho leva a uma maior descontração e predisposição para trabalhar, a ideia do projeto em causa será desenvolver estas três áreas em simultâneo.